terça-feira, 7 de abril de 2015

Ajustes em "Babilônia" agradam à muitos, mas decepciona os verdadeiros fãs

Foto: GShow

Os ajustes para salvar "Babilônia" já começaram e uma das estratégias de promoção da atual novela das 9 foram as chamadas que prometiam "uma semana de grandes revelações" a partir do capítulo que foi ao ar nesta segunda-feira, 06/04. 
Quem vem acompanhando a trama logo percebeu as primeiras mudanças. O capítulo em si foi monótono e não lembra em nada a agitação da estreia, mas isso é totalmente compreensível, pois ficou claro que neste capítulo 19 foram exibidas cenas que já tinham sido gravadas juntamente com desfechos alterados e gravados às pressas, como por exemplo, a relação de Alice e Murilo, que acabou em discussão quando a moça compreendeu que a verdadeira intenção do rapaz era de usá-la para a prostituição sem o seu consentimento, ou a postura da mocinha Regina, que conseguiu ouvir toda a explicação de Vinícius sem partir para a intolerância.
O texto continua afiado, criticas aos valores da sociedade estão em discussão nos diversos núcleos da trama e talvez essa, que é uma das melhores qualidades de "Babilônia", também perca espaço, pois, como muitos estão dizendo na internet, o público conservador não está preparado para as realidades que a história vem abordando.
Em nome da audiência a Globo está promovendo mudanças, que com certeza, não agradarão os que esperam conflitos marcantes, como por exemplo, a prostituição de luxo, a homossexualidade do pai de um homofóbico e ainda as maldades das vilãs Beatriz e Inês. Talvez se "Babilônia" tivesse sido escalada para às 23h teria mais liberdade para tratar esses assuntos sem ter que ficar alterando o texto para agradar os mais conservadores.

Nota

Correndo atrás O "CQC" desta segunda (04/04) apresentou melhoras quando comparado à primeira edição da temporada 2015. Percebesse uma atenção maior voltada à interação com o telespectador através das redes sociais, assim como matérias que chamam a atenção pela criatividade e abordagem, como foi o caso da entrevista com uma moça que recebeu comentários maldosos de haters da internet. Outro destaque foi a experiência de um dos produtores do programa como repórter. Dan Stulbach está mais à vontade na apresentação e o melhor: não está mais aos berros.
O erro tem sido o horário. O humorístico está entrando no ar às 23h. A direção da Band deveria aproveitar a baixa audiência da novela global e exibir o programa mais cedo, 22h30, por exemplo.